segunda-feira, 3 de maio de 2010

Maratona de São Paulo 2010: sobrevivi!

Se você alguma vez leu ou ouviu a frase “completar uma maratona é inesquecível”, pode crer, é isso aí mesmo. O que muita gente não conta é que o caminho que separa o tiro de largada do pórtico de chegada não tem nada de doce, e que com certeza é inesquecível também.

Neste domingo, eu completei minha segunda maratona em 05:35h, pior que a primeira que foi em 05:18h, mas nem me importo, estou aqui curtindo o belo visual da medalha e as dores espalhadas pelo corpo...

Domingo, 07:30, busão cheio

O esquema é o seguinte: você larga da ponte estaiada e depois de um rolê e tanto pelos lados da Praça Panamericana, Parque Villa Lobos, USP e embica na Av. Juscelino Kubsticheck em direção ao Parque do Ibirapuera. O que te leva para a largada são os ônibus da organização a partir do Ibirapuera, ou seja, se você quiser pode deixar seu carro lá no ginásio (R$ 25,00!) e o transporte é garantido. Ao contrário do ano passado, os ônibus não foram os fretados confortáveis, e sim os “busões” nossos de cada dia, que iam lotados de corredores animados e falantes pelo percurso todo.

Chegando na Av. Roberto Marinho, foi só esperar dar o horário e partir: 10 Km, 25 Km, caminhada de 3 Km ou Maratona 42 Km. Pois é, escolhi a última opção...

Hino Nacional, tiro de canhão e o pessoal larga agitado para mais um desafio, todos juntos, não importa a distância. Poucos caminhantes se meteram a besta de largar com os corredores, o que ajudou bastante. No meu playlist, é hora de ouvir “Don’t stop believing” do Journey, seguido de sputz-sputz para manter o ritmo.

Acrescentaram um bom pedaço no trecho inicial da Av. JK, para diminuir o trecho da USP (depois eu explico esta parte). Demos adeus aos felizardos que iam fazer 10 Km e continuamos nosso percurso. O povo acompanha e incentiva, o que ajudou muito. Fui bem até o Km 18, mas meu pé estranhou o tênis com pouco uso e começou dar sinais que ia doer. Reduzi e descobri que precisava ficar o mais “plano” possível, ou seja, evitar aqueles desníveis das faixas laterais das ruas. Mas lá pelas 12:00, o sol que vinha acompanhado de uma brisa bem refrescante desde a largada resolveu pegar forte e elevar a temperatura de 22 graus para 28. E aí o pior trecho: a chatérrima Av. Politécnica. O pessoal dos 25 Km parou aí, no meio do nada e foram transportados de ônibus (busões, de novo) para o Ibirapuera. Ficam só os maratonistas que derretem ao sol naquele cenário tosco que está sempre nas provas da Corpore e Yescom.

O amigo instantâneo

Meu ritmo caiu e eu andei bastante nesta parte. Só acordei mesmo quando vi um grupo de ambulâncias que “fechavam” a prova. Ah não, por último nem pensar! Engatei o que dava no Km 32 e por sorte conheci o Sr. Misuzaki, que puxou papo e ajudou muito a manter o ritmo. A gente se revezava em quem puxava quem e para espanto dos que só conseguiam andar, estes dois loucos continuavam trotando e acelerando debaixo do sol das 14:00h. Ah, e o Misuzaki é da Equipe Tavares, que eu já indiquei aqui várias vezes. Valeu meu amigo, você ajudou a fazer a diferença na minha prova!

No Km 35, hora de trocar para o playlist "envenenado": vamos começar com "Thunderstruck" do AC/DC, o resto eu nem conto...

Terminei exausto, mas terminei. Doía tudo, e o trajeto até o carro foi um martírio.

Inscrição da Prova: R$ 50,00.
Cartela de Dorflex: R$ 3,80.
Terminar a Maratona: não tem preço!

Agora, leia com atenção esta parte

A prova até que estava bem organizada, a Yescom está quase de parabéns (vão se redimir das outras bobagens que eu já relatei aqui?). A Rede Globo que vá para a... bom, deixa para lá, este negócio de interferir no horário de largada é de matar, apesar de todos os apelos já feitos para mudar isso. Meu tempo foi ruim, não devido ao meu pé doer, sol forte ou horário, e eu assumo a culpa. O momento ruim que passo profissionalmente está se refletindo em noites de sono mal dormidas e outras consequências, e isto resultou no meu tempo de prova. Quando o corpo estava cansado (ainda bem, era sinal que eu ainda estava vivo!), a mente dominou e trouxe os problemas para o momento.

Foi difícil superar e terminar, pensei em desistir e pegar um táxi várias vezes. Mas dois grupos de pessoas, além da ajuda do meu amigo instantâneo relatado acima, impediram que isto acontecesse:

- Em primeiro lugar, as pessoas que estavam me esperando lá ou em casa, ou que sabiam que eu estava lá e não ia desistir.

- E é claro, todos os que gastam um tempinho lendo as bobagens que eu escrevo aqui e também estão sempre me incentivando.

Eu simplesmente pensei: como é que vou explicar para eles que não terminei? Não dava, isto era inadmissível. Então eu acelerei, deixei a mente sufocada pelo cansaço do corpo e fui até o final. Não tenho como agradecer a estes dois grupos, vocês fizeram a diferença!

E agora?

Bom, voltamos às provas menores, mas eu ainda quero mais uma maratona neste ano. Ainda vou escolher, mas depois eu conto.

Parabéns a todos os que concluíram, não importa a distância nem o tempo!

12 comentários:

  1. Missão cumprida man. Parabéns!!!! Uhuuuuuuuuu

    ResponderExcluir
  2. Ler este tipo de post é incrivel...Todas as experiencias se parecem tanto.. Cada um com sua dificuldade.. Parabens.... Boas provas...

    ResponderExcluir
  3. É isso ai, Parabéns!!! Todo o teu esforço e dedicação foram recompensados.
    Bjos,
    Dani

    ResponderExcluir
  4. Parabéns!!!!
    quando eu crescer eu tbm vouuuu...hehehe...
    bom descanso e boa recuperação...
    Bjinhos
    JU

    ResponderExcluir
  5. Meu amigo ... essa foi dureza ... nos dois últimos anos corremos com temperatura média de 13 graus ... show!!!
    Mas esta foi um terror ... eu que não me dou bem com calor sofri demais ... Mas percebi que não apenas eu tive problemas até atletas de elite tiveram seus problemas ... Agora que alguém deve fazer algumas coisa isso deve ter ...
    E o pior não ter meu tempo registrado depois de 42km ABSURDO !!!

    Parabéns Rinaldo !!!
    Sucesso !!!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela conclusão da prova, pelo relato sempre bem-humorado!

    ResponderExcluir
  7. "provas menores" foi ótimo!

    parabéns

    valeu@

    nadais

    ResponderExcluir
  8. Espetacular!!! Parabens!!!

    Nem encana com o tempo, VOCE COMPLETOU UMA MARATONA!!!!
    Quantas pessoas que voce conhece, pessoalmente, no trabalho, na rua, na academia, que são maratonistas!?

    Show de bola!!

    abraço!

    Leonardo Nista
    www.corrorpocorrer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. claudio parabéns.

    em vez de ac/dc fui mesmo de sepultura.

    ambos fomos bem, pelos percalços.

    valeu!

    nadais

    ResponderExcluir
  10. oi, cláudio, adorei seu relato! também corri a maratona de são paulo, minha primeira!!! até cruzar a linha de chegada, é um looooongo caminho, e realmente, depois do km 30, doce mesmo só aquela meleca de gel;) terminei em 5h14, e por incrível que pareça, a única parte do corpo que dói é o dedão do pé direito! também amarrei minha coragem numa companheira que estava a frente, e graças a ela consegui terminar a prova correndo, e não me arrastando!

    ResponderExcluir
  11. Olá Rinaldo, excelente relato e uma bela prova também, porque não?
    Pois, terminar uma maratona, não é fácil, e mesmo apesar de todos os contra-tempos citados, você foi lá, não deixou a "peteca" cair e seguiu em frente.
    Isso sim é sinônimo de um vencedor.
    Você tá de parabéns.
    E independentemente do tempo, o que importa é chegar.
    Abraço e tudo de bom sempre pra você.

    Ahh, você disse que quer mais uma maratona este ano ainda. Posso dar uma sugentão?
    A Maratona de Foz do Iguaçu é sensacional, porém, como você deve estar por dentro, é a maratona mais difício do Brasil. mas o percurso final dentro do Parque Nacional e a chegada ao lado das Cataratas, não tem preço.
    Fica aí a dica, ok?
    Valeu.


    tutta³³
    www.correndocorridas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Grande Rinaldo, me desculpa o atraso, pois como vc sabe são vários blogs dos amigos para visitar e o escasso tempo já viu né...Meus parabéns pela conclusão de sua 2ª Maratona e graças a Deus apareceram alguns amigos que lhe ajudaram a vc não desistir é isso ae cara...Quanto aos imprevistos não esquente não na próxima vc conseguirá tirar de letra.

    Bons treinos,

    Jorge Cerqueira
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir