sexta-feira, 7 de maio de 2010

Organização da Maratona SP 2010: vamos colocar tudo na balança...

Tenho lido muitos posts sobre a Maratona de São Paulo nos outros blogs e fico feliz em saber que meus amigos blogueiros são tão “cricas” quanto eu com este negócio de organização de provas. Enfim, é nosso dinheirinho “suado” que está ali, então o mínimo que podemos ter é um atendimento decente. E para quem já recebeu a edição da Revista Contra-Relógio deste mês, uma lida na matéria sobre a Maratona de Paris vai deixar bem claro que erros de organização ocorrem até no primeiro mundo.

De qualquer forma, vamos ponderar alguns fatos positivos e negativos desta Maratona. Eu já passei muito nervoso com a Yescom, mas sou obrigado a admitir que algumas coisas melhoraram, enquanto outras continuam a mesma porcaria...

Pontos positivos

- Hidratação: fale o que quiser, mas o tempo estava quente e eu consegui água gelada em todos os pontos de hidratação, inclusive com opção de sem gelo em alguns. Mesmo com o meu tempo de prova absurdo, recebi água em todos os postos, apesar de alguns já estarem desmontando.

- Atendimento médico: graças a Deus eu não precisei, mas vi gente que não teve a mesma sorte. O pior caso que presenciei foi uma ambulância na contramão com a moto da organização abrindo caminho. Pouco tempo depois vi um corredor deitado na maca, com espasmos e uma equipe médica prestando socorro. No mais, alguns tiraram tênis e meia e imploraram por gelo, e foram atendidos.

- Camiseta: Adidas, legítima, de bom gosto e entregue no tamanho correto. O kit pré-prova foi bem aceitável, dentro dos padrões das provas aqui.

- Gatorade: sim, poderia ter mais postos, mas foram 2 e não faltou, além da chegada. Gel, só um e a “Laranja do Km 36”. Para quem lembra da Meia Maratona da Corpore no mês passado, nem iogurte sobrou no final.

- Preço: não acho que foi uma prova cara (R$ 55,00 quando me inscrevi) e ainda tive 10% de desconto por ser assinante da Contra-Relógio. Provinhas da Track&Field não custam menos de R$ 80,00...

- Deslocamento: apesar da piadinha do “busão” que eu relatei, fomos deslocados rapidamente e sem tumulto. Mais pessoas acomodadas, mais rápido o transporte.

- E-mail de informações: na semana do evento recebi um e-mail bem completo ressaltando os itens a serem observados para a prova.

- Medalhas diferenciadas: a inscrição na medalha indicava o evento como sendo a Maratona Internacional de São Paulo, porém com a distância percorrida pelo atleta. Assim aquele seu amigo do escritório não fica se gabando de ter terminado uma maratona...

Agora, pauladas...

- Horário: eu me recuso a falar disso de novo, você já sabe...

- Percurso: tirar um trecho monótono da USP, tudo bem, mas submeter os corredores ao cenário estilo “Mad Max” da Av. Politécnica por uns 5 Kms é de morte!

- Baias de largada: ninguém respeitou, nem mesmo os organizadores. O certo seria largar em “ondas” e ser bem criterioso com este negócio de tempo. Caramba, a Yescom tem os tempos das outras provas que eu participei, porque não fazem uma simples pesquisa dos dados? (desculpe, força do hábito, eu leciono esta parte de banco de dados...)

- Número de participantes falso: a organização anuncia como 20 mil inscritos, mas não explica que isto é o total para todas as distâncias do evento. Ou seja, quem liga a TV imagina 20 mil maratonistas, um número meio difícil de acreditar no Brasil.

- “Cotovelos” no percurso: tenha dó, fazer uma curva e voltar 180 graus é patético em uma prova de rua, ainda mais em uma maratona internacional.

- Placas de Kms: eu perdi várias delas, o que prejudicava controlar meu ritmo. Ou seja, em alguns pontos, pouco visíveis.

- Incentivo: no Km 12, um idiota da organização gritava “vamos lá pessoal, falta pouco”. Sim, faltam 30 Km. “Traz a sua mãe aqui e eu mostro como falta pouco”, eu quase deixei escapar...

- Trânsito: como o evento começa tarde, o paulistano sai para curtir o domingo de sol e encontra ruas fechadas e muito trânsito na zona sul. Resultado: em vez de admirados pelos motoristas, somos odiados, pois estamos atrapalhando o trânsito. Como se conquista mais adeptos para o esporte com esta imagem?

Enfim, há coisas boas e outras nem tanto, mas eu acho que para o tamanho do evento, até que a Yescom se comportou bem. Continuo sem resposta sobre as reclamações da São Silvestre, mas acho que não sou o único.

Em breve: eu imaginei o “percurso dos sonhos” para a nossa Maratona de São Paulo, só falta desenhar no mapa.

Se tiver mais uma crítica positiva ou negativa, sinta-se à vontade para deixar seu recado aqui.

P.S.: aos caros leitores, muito obrigado pelos comentários no meu post da maratona, vocês são demais!

7 comentários:

  1. oi, rinaldo, você analisou muito bem os elementos da maratona!!! quanto à hidratação, eu fiquei sem água justo perto do km 40; aquela solaca na cabeça, esgotada da subida do último túnel, e neca de água; deu vontade de sentar no chão e chorar... faltou animação por parte dos organizadores justo quando a gente mais precisava: depois daquela tangerina abençoada, visão do oásis naquela secura, eu pensei, puxa, agora vai melhorar! que nada... nada mesmo! me senti um pouco abandonada à própria sorte; quanto ao percurso, eu acabei de me mudar aqui pra são paulo, e não sei bem bem qual é essa politécnica, mas concordo totalmente que alguns kms da prova foram de matar... de tédio!!!
    tomara que eles corrijam esses incovenientes na próxima maratona!

    ResponderExcluir
  2. Show Rinaldo, muito boa sua analise... Gostei da parte do transito (somos odiados, pois estamos atrapalhando o trânsito.) kkkkk Pura verdade...kkkk Rachei !!! Bons treinos guerreiro

    ResponderExcluir
  3. Rinaldo... Boa tarde... Sou blogueiro novo e não conheco muito bem as ferramentas de uso deste meio... Mas vou tentar me expressar... Gostei da sua posição... Sou lento. Fiz a prova em pouco mais de 6 horas (minha primeira de 42k)... Tentei segurar o ritmo e prever todo tipo de eventualidade negativa. Entrei treinado e confiante, achando que a coisa seria mais difícil do que realmente foi... Acho que esses tipos de eventualidades da organização (positivas ou negativas) acontecem mesmo em todas as provas e em todo o mundo... Acredito que a parte mais importante à se comentar, é que, infelizmente, essas provas organizadas no Brasil pela Yescon (e com transmissão ao vivo do plim-plim), deveriam ser banidas do circuito de corridas... Será que ninguem vê isso? É sempre a mesma situação... Acontece em SP (Maratona), acontece no Rio (Meia), acontece em Santos (Tribuna)... Acho que em nenhum lugar do mundo, pelo menos próximo aos trópicos, poderia acontecer uma maratona verpertina com início após as 07:30hs, mesmo no inverno... Se o plim-plim passa VT de fórmula 1 à 11hs da manhã de domingo, ou se passa VT das Escolas de Samba no Sábado pela manhã, porque não passar VT de maratona depois do Corujão, ou à qualquer outro horário/data... Quem sabe no vale à pena ver de novo... Quem corre uma maratona quer completar e chegar bem... Quem corre uma maratona não quer aparecer na TV socialmente... Esse tipo de corredor participa de provas mais festivas e menos técnicas como essa... Largar no horário de 09:00hs, ou 09:15hs, associado à poluição e ao calor da Cidade de São Paulo, mata qualquer um... Isso é o crime da mala...

    ResponderExcluir
  4. Oi Rinaldo, o que não me conforma é o horario...sinceramente...falta de respeito...
    Bjinhos
    Bom fds
    JU

    ResponderExcluir
  5. Oi Rinaldo. Aqui em Curitiba acontece a mesma coisa com o trânsito, chegando ao cúmulo dos motoristas avançarem sob os corredores. Vi 1x um corredor ser atropelado...fiquei indignada.
    Bjos,
    Dani

    ResponderExcluir
  6. Olá Rinaldo. Eu corri a Maratona de São Paulo duas vezes - 2007/2009 e a lembrança é sempre de sofrimento. Acho mesmo que o horário é o grande vilão, principalmente para nós que andamos mais atrás e por isso ficamos mais tempo exposto ao sol. É uma prova para sofrer. Dois postos de isotônico também é pouco para o horário. Mas completar é muito bom. Pelo menos essa sabe-se que é dura. O pior é entrar numa prova que era para ser leve e os erros de organização detonam tudo como Floripa 2009. Grande abraço. Miguel Delgado.

    ResponderExcluir
  7. Rinaldo, mais uma vez parabéns pela maratona concluída e pela análise da prova, vc fez certo em mandar um email para a organização, mais pera lá, foram 20 mil corredores correndo, seria bom que os 20mil mandasse também emails para a organização se todos que correram a maratona se unisse e fizesse isso, com certeza iria mudar alguma coisa...Vc comentou aqui que para vc não faltou água, mais para alguns faltaram o negócio é o seguinte que para os mais rápidos não faltam e os mais rápidos gastam mais água do que o necessário, também além dos 20mil corredores, tem os corredores Pipocas que fazem uso da organização daí já viu né...

    PS: Vc comentou aqui no blog sobre a Matéria que saiu na Revista Contra Relógio falando dos problemas ocorrido na Maratona de Paris, vc observou o anúncio na Revista na página 14, pois lá tem um site chamado www.numerodepeito.com.br é um site que fabrica números para as corridas, será que essa empresa é sua ou de algum conhecido seu...Pois se não é seu, creio que algum dia vc querer registrar o seu blog, eu acho que vc não conseguirá...Pq já tem um site de uma empresa registrado.

    Bons treinos,

    Jorge Cerqueira
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir