segunda-feira, 21 de setembro de 2015

A excelente Maratona Pão de Açucar de Revezamento 2015

Imagine uma corrida que acontece todo ano, que está em sua 23ª. edição e que da última vez que você participou ela ainda estava na 14ª. E o formato, já consagrado, teve mínimas alterações e continua trazendo milhares de corredores ao asfalto, em equipes de 2, 4 ou 8 atletas para completar os 42,2 Km de uma maratona. Em São Paulo no último domingo a Maratona Pão de Açucar de Revezamento teve mais uma edição, onde apesar do sol forte desde a largada às 07:00 da manhã, levou um mar de corredores para a região do Parque do Ibirapuera, tomando as ruas e avenidas em uma prova muito bonita e bem organizada, apesar de uma pequena falha que vamos comentar ao final.

Kits distribuídos com antecedência de até 3 dias do evento de forma eficiente no Ginásio do Ibirapuera, onde chamou a atenção a presença de um membro do staff explicando para os corredores como seria feito o revezamento. Sim, pois os pontos de troca estavam em locais definidos, o que poderia gerar alguma confusão para quem participa pela primeira vez. O conteúdo da sacola foi simples, mas de boa qualidade, um retorno justo por uma prova de valor em torno de R$ 95,00 (dependendo da época da inscrição) e que exige a logística de 42 Km de vias interditadas, além de muitas outras estruturas. Uma delas, uma passarela dupla que evitava trânsito de pessoas pelo meio das pistas onde a corrida acontecia, algo muito bem pensado pelo organizador.

Lembro que quando participei desta prova em 2006 mal havia começado a correr, fiz meus 5 Km em uma equipe de 8 elementos,
feliz pelo resultado de conseguir completar mais uma prova. Desta vez eu queria um pouco mais, por isso convidei a colega Ivana do blog Status: Na Correria, companheira de diversas outras maluquices de longa distância, e determinamos a meta de cada um fazer seus 21 Km. Não é bem assim, a divisão não é meio-a-meio para as duplas, o primeiro integrante corre em torno de 22,5 Km e o segundo 19,5. Como estamos utilizando este tipo de prova como treino para distâncias maiores, a diferença é pouca, sendo que ela ficou com o primeiro trecho e eu fiquei encarregado de fechar debaixo de muito sol.

Para quem leu o post anterior, sobre o Circuito das Estações Etapa Primavera, deve lembrar
que na semana anterior eu corri alegremente em uma temperatura de 12 graus, de calça de agasalho e camiseta segunda pele. No meu trecho de revezamento, a meia mais fina possível, camiseta regata, shorts e viseira para poder jogar água na cabeça com melhor eficiência debaixo de 33 graus de temperatura na Av. 23 de Maio. E só 7 dias separaram os 2 eventos!

Procurei manter o ritmo de cruzeiro em torno de 06:15 min/Km, o suficiente para minha capacidade e que permite treinar um ponto essencial: manter o ritmo em subidas e descidas, que aliás não faltavam na prova. Recordes? Hoje não, vamos manter a programação de treino e esta condição climática foi o fator de sucesso da missão.

Mas, cadê meus 400 metros?

Todo organizador vai te dizer para não ficar bitolado com seu equipamento GPS, que provavelmente marcará resultados incorretos, pois o percurso oficial é medido com métodos apurados. Porém, confiando ou não em meu dispositivo, o fato é que na segunda volta, onde o tempo total de prova já avançava para além
das 4 horas, a organização começou a desmontar e recolher as grades do trecho que seguia pela Av. 23 de Maio em direção ao Viaduto Tutoia. Isto trouxe o ponto de retorno pelo menos mais próximo pelo menos 200 metros, sendo que seria ida e volta, e esta distância bateu com a diferença em meu equipamento. Ao concluir e receber as medalhas, pois é o último atleta que recebe pela equipe, ouvi pouco tempo depois no sistema de som que a prova seria encerrada com 5 horas, o que digamos, estava no regulamento e eu já sabia. Muitos corredores ainda estavam na pista, e não tive a oportunidade de constatar como o evento foi encerrado.

Sobre este assunto vamos conversar em um outro momento, é pano pra manga, mas adianto minha opinião: regulamento é para ser cumprido, e esta regra constava no material impresso entregue com o kit. Como disse, conversamos sobre isto depois.

Ao final, a equipe “Blogueiros Insanos”, formada pela Ivana e por este aqui, terminou o percurso de 42,2 Km (menos 400 metros) em 04:34:34, mesmo nas áridas condições climáticas do domingo.


E eu matei a saudade desta prova, recordações de quando comecei a correr e que agora foi concluída em uma situação bem diferente de nove anos atrás.

2 comentários: