segunda-feira, 15 de agosto de 2016

ASICS City Marathon: padrão internacional!

Imagine a corrida perfeita. Bom, sinto dizer, mas ela não existe, porém dá para chegar muito perto da excelência. Isto sem contar que a primeira edição já foi um sucesso de público, organização, estrutura e acima de tudo, respeito ao atleta. A Asics São Paulo City Marathon aconteceu no último 31 de julho e proporcionou uma experiência de corrida maravilhosa aos participantes, do processo de inscrição ao pós-prova. Claro, alguns pequenos inconvenientes, mas comparado com outros eventos, alguns com mais de vinte edições e que o organizador não aprende a fazer ajustes, pode ser considerada uma das melhores corridas do ano na capital paulista.

Antes de mais nada, minha participação não foi através de cortesia, desembolsei R$ 150,00 de inscrição e mais R$ 20,00 de ônibus da organização para poder voltar à área de largada, portanto os elogios são sinceros. Quem me conhece já sabe, a crítica viria se as expectativas não tivessem sido atendidas, mas foram superadas. O site do evento deixou bem claro todos os detalhes, estrutura, processo de inscrição, ofereceu ônibus para a transição das áreas chegada-largada e indicou transporte público adequando a estes locais. Sim, um valor um pouco acima do que estamos dispostos a desembolsar em um país em crise econômica, mas valeu cada centavo.

Nos dias que antecederam o evento, a estrutura montada para a entrega de kits contava com uma expo com diversos stands de patrocinadores, empresas do setor de esportes e corrida, uma loja exclusiva dos produtos da Asics e diversas palestras relacionadas, além de algumas específicas que tratavam os detalhes do percurso de 21 e 42 Km por profissionais experientes. Infelizmente foi necessário um espaço adequado para tudo isso, e a escolha do pavilhão da Expo Transamérica causou um pouco de transtorno para os que moram do outro lado da metrópole como é o meu caso. Também devido à distância e ao pouco tempo que tive para a retirada do kit, foi impraticável aproveitar melhor a feira e as palestras, terá que ficar para uma próxima participação.

Um diferencial da prova foi a data escolhida, em pleno inverno paulista, e largada cedo, com a primeira onda de corredores partindo às 06:00 da manhã de um domingo gelado na região do Estádio do Pacaembu. O primeiro inconveniente grave aconteceu aí, pois o sistema de guarda-volumes em ônibus gerou filas que se cruzavam, além de pouco preparo de alguns staffs, tudo isso com a escuridão da madrugada ainda prevalecente. Um pouco de aborrecimento para os corredores, mas tudo resolvido, é hora de correr.

As ondas largaram pontualmente às 06:00, 06:10 e 06:20 da manhã, todas com uma modesta festa devido ao horário e pelo fato do entorno da Praça Charles Miller ser cercado de prédios residenciais, porém com muito incentivo aos atletas. Na minha bateria, a última a largar, a banda da Polícia Militar do Estado de São Paulo, em suas peças executadas ainda encaixou um pouco do tema musical do filme “Gladiador”, que encheu as veias dos corredores de adrenalina para enfrentar a meia e a maratona que estavam prestes a começar.

Partimos então para um percurso que em grande parte faz jus à dimensão da cidade de São Paulo, passando pela região do Pacaembu, Centro Histórico, subindo a temida Av. Brigadeiro Luiz Antônio na altura do Km 10 do trajeto, atravessando a Av. Paulista, descendo até a região do Ibirapuera, Itaim, cruzando por baixo da Marginal do Rio Pinheiros e Jockey Club. Neste ponto os atletas dos 21 Km tomavam seu rumo em direção à chegada, já com quilometragem diferente dos maratonistas, pois no trecho do Ibirapuera estes deram uma esticada em volta do Obelisco. Seguimos então em direção à Ponte da Cidade Universitária, Parque Villa Lobos e voltamos para a USP, local de treino da maioria dos paulistanos nos sábados pela manhã. Voltando à região do Jóquei Club, uma última voltinha e o clima de chegada olímpica era total, já com os corredores eufóricos pela missão cumprida. Este aqui novamente baixou um pouco mais (alguns segundos) na distância dos 42 Km, fechando com 04:36:28 pelo tempo oficial.


O clima estava perfeito, muito gelado no início e esquentando aos poucos, o que garantiu uma performance boa para a grande maioria, talvez um pouco seco pela ausência de chuvas no mês de julho, mas ainda assim muito bom para correr. A prova teve uma estrutura perfeita ao longo do percurso, hidratação farta, Gatorade (esgotado somente no primeiro posto), esponja para resfriamento, gel de carboidrato, banana e até a distribuição de um creme contra assaduras. Sinalização muito bem posicionada, direcionamento do trânsito sem nenhum stress com os motoristas, postos de apoio muito bem posicionados. Enfim, uma estrutura de prova internacional, sendo a última reclamação de novo quanto ao guarda-volumes, pois ao chegar ao Jóquei Clube, o atleta precisava se deslocar quase 1 Km a mais para retirar seus pertences e voltar ao local de saída para o transporte disponibilizado pela organização. Pequena falha, com certeza será melhorada nas próximas edições.

Um ponto a ser levado em consideração é a existência de apenas duas distâncias nesta prova, 21 e 42 Km, que limita o perfil dos corredores inscritos. Não me entenda mal, eu adoro provas de 5 e 10 Km, participo sempre que possível, mas chegamos nestes eventos com outro astral, diferente de uma prova longa, onde ritmo deve ser levado em conta desde o início. Acredite, faz bastante diferença para o trecho inicial dividir o asfalto com quem está preparado para encarar horas de corrida ou com quem veio para terminar a atividade em menos de uma hora.


E por isso mesmo fica a expectativa de que a prova seja realizada novamente nos próximos anos, uma maratona a ser encaixada no calendário do corredor brasileiro.

2 comentários:

  1. Olá Rinaldo, meus parabéns por baixa mais um pouquinho do seu tempo na distância. Realmente uma prova muito boa. Espero que ela continue sendo realizada.
    Uma pena, mais uma vez, que não nos encontramos não é? rsrs
    Fica para uma próxima oportunidade.
    Abraço e boas corridas pra você.


    tutta/Baleias-PR
    www.correndocorridas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Tutta, você corre muito, aí fica difícil eu te alcançar em uma prova dessas! Parabéns pela participação, com certeza a gente se vê nas próximas.

      Abraço!

      Excluir