sábado, 18 de abril de 2009

A Pisada - parte 2

Tudo começou com aquele cretino Nike Air Coupé, que aliado ao meu sobrepeso (eu pesava quase 10 Kg a mais quando comecei a correr) resultou em uma fissura por estresse na tíbia. "Pare tudo" disse um dos médicos. O outro, mais sensato, disse "invista em um tênis de corrida, não economize". Daí eu apertei o bolso e encarei o Wave Creation 7 da Mizuno. Nâo tinha a menor idéia de tipos de pisada, mas o modelo resistiu bravamente pelos aproximados 500 Km de rodagem para o qual havia sido projetado. Ainda hoje me acompanha em caminhadas, pedaladas e academia, um verdadeiro tanque de guerra. Para supinadores...

Ao término da vida útil (o amortecimento não dura mais que isto) a lógica dizia que agora era hora da evolução: Wave Creation 8! Aperta-se o orçamento de novo e pronto, meu presente de Natal em 2007. Só que alguns meses depois uma dor no joelho (plica sinovial) fez com que a médica solicitasse o abandono do modelo e que eu buscasse um exame para saber meu tipo de pisada. Fiz dois testes, um na placa estática e outro na esteira. O modelo indicado pela Asics foi o Gel Kayano (que sorte, achei uma "desova" do modelo 13 em promoção!). Para pronadores...

Tudo resolvido, agora eu não tenho mais dores no joelho! Alguns meses depois, começaram as dores no pé direito, um formigamento chato que começava depois de uns 20 minutos de corrida e virava uma dor insuportável ao final (provavelmente, segundo um especialista, uma bursite). Na São Silvestre de 2008 eu simplesmente não consegui dar um "bypass", pois o organismo não reagia, e eu tive que caminhar parte da Brigadeiro. Percebi que dois modelos "mais baratinhos" que uso para treinos e esteira não causavam dor nas corridas: Mizuno Wave Atlantis e Adidas Orbed. Ambos, para pisada neutra...

Aperta-se o orçamento novamente e... desta vez eu fui atrás de um teste de pisada mais preciso, a tal Baropodometria. Não aguento mais gastar dinheiro com novos modelos e não usá-los até o fim da vida útil, sem contar as dores e incômodos que vão aparecendo com o tempo após a troca.

Já tenho um resultado novo, mas como o volume de informações que a médica passou após o exame foi muito grande, eu prefiro ver o laudo por escrito para resumir aqui.

Tudo isto, no próximo (e quem sabe último) capítulo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário