sábado, 9 de outubro de 2010

Cartinha ao treinador

Semana do cão: em alguns dias saí antes das 7:00 e voltei quase no dia seguinte, trabalhando e fazendo curso. O dono da academia está mais rico e eu menos condicionado. Correr na rua? Só quando começou a chover na quinta ou para atravessar a faixa de pedestres na sexta (sensação boa, durou pouco). Dor nas costas devido a excesso de peso na mochila. No sábado acordei com o corpo todo duro e dolorido de stress da semana, dia frio e com chuva, então nem pensar em forçar o corpo lá fora, apesar da vontade.

Eis que estou colocando a leitura em dia com algumas revistas de corrida paradas em cima da mesa e dou de cara com uma matéria onde “treinadores” aconselham a terminar bem uma maratona, algo do tipo “tem gente que se orgulha de dizer que terminou com dores e se arrastando blá blá blá..”. Já tive que dar um esculacho na turma de ontem em sala de aula, aí vai outro:

“Sr. Treinador, não terminei uma, mas sim três maratonas em frangalhos, neste estado de doer tudo até os fios de cabelos e me orgulho muito disso. Com todo tempo escasso que tenho para treinar, e não pela falta de vontade, fiz mais do que muita gente que fica na frente da TV o final de semana todo, que dorme quinze horas seguidas no sábado ou que acha que fazer atividade física é coisa para maluco. Pretendo completar outras tantas maratonas neste mesmo estado ou pior, e isto não é problema seu. Antes de escrever imbecilidades na revista, pare e pense que este é um país com mais gente obesa do que subnutrida. Afinal, a página onde constava o seu e outros nomes ‘ilustres’ do esporte é um tanto áspera e não dá nem para limpar a b...”

Tudo bem, me empolguei de novo (os alunos de ontem que o digam). Existem não apenas dois, mas diversos tipos de atletas nas provas de rua, e eu estou na categoria que chamo de “recreacional”. Vou nas provas que posso pagar inscrição e que podem ser encaixadas no meu calendário, faço academia sem neuras e apenas para manter o condicionamento, corro porque gosto, tempo de prova é apenas um presente quando é mais baixo que o esperado. Portanto, esporte para mim não é obrigação ou atividade remunerada. Se tiver que completar outras tantas provas no pace entre 6 e 7 min/Km ou mais, sem problemas, eu não tenho por hábito desistir das coisas e não é o relógio que vai me desanimar. Comecei, vou terminar.

Portanto, da próxima vez eu mando esta “cartinha” para a redação da revista e com certeza deixo de comprar as próximas edições. As já compradas, vão para a lixeira de papel reciclável.

Afinal, já tenho coisas demais para fazer do que ficar lendo opiniões de quem não sabe como é o meu dia. Ou de pessoas que não sabem a sensação de um dia ter sido sedentário e alguns anos depois cruzar a linha de chegada dos 42 Km.

Bom final de semana e feriado, no seu ritmo, seja ele qual for!

5 comentários:

  1. Amigo Rinaldo, excelente seu post. Dúvido que exista algum ser humano que termine uma maratona e diga: "esta foi fácil"! Quem chega em primeiro e quem chega em último usa tudo o que tem e um pouco mais. Muitos quebram no meio. Ou seja, a maratona nos cobra além dos nossos limites. Maratona é sim superação, não importa o ritmo que você a faça! Abraços.

    ResponderExcluir
  2. apoiado, rinaldo!!!!
    chega desses absurdos que as revistas insistem em publicar!

    terminei minha primeira maratona acabada, achando que não conseguiria andar nem mais 1km, mas perdidamente apaixonada pelo desafio, e realizada por ter cruzado a linha de chegada!

    um abraço!
    elis
    http://elismc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Belo post...ainda não fiz minha primeira maratona...mas confesso que tenho medo de me arrebentar, pois sou do tipo que não gosta de desistir...mas acho que não tem como acabar inteiro mesmo não!!!
    Abraços,
    Thiago Melo
    http://corredoraprendiz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Rinaldo. Parabéns pelo post. É palhaçada mesmo um "treinador" desmerecer um corredor simplismente porque o cara terminou acabado. Duvido mesmo que até os caras da elite não terminem cansados e achando que foi fácil. O que importa mesmo é terminar. Ano que vem irei tentar a minha primeira maratona e se der tudo certo será em SP.
    Bjos,
    Dani
    www.correndoemagrecendo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo BELÍSSIMO esculacho no tal "treinador" caríssimo amigo Rinaldo.
    Maratona é superação com muito esforço e sacríficio concerteza.
    Terminar inteirasso?
    Dúvido quem a faça... hehe
    Abraço.


    tutta
    www.correndocorridas.blogspot.com
    Twitter: @tuttacferreira

    ResponderExcluir