segunda-feira, 28 de maio de 2012

Aquathlon Guarujá: nome novo, mesmo formato

Funciona assim: você vem por uma pista com esquis e depois atira com uma pistola de ar num alvo fixado num ponto do percurso... bom, isto é Biathlon, um esporte olímpico que mais lembra filmes dos James Bond, então o nome da competição onde você nada e na sequência corre passou a ser chamado de Aquathlon. Enfim, já que continua a “secura” de provas no calendário, pelo menos as que eu tenho como comparecer, o jeito foi fazer novamente esta doideira de nadar 500 metros na Praia da Enseada no Guarujá e em seguida enfrentar mais 3 Km de corrida.

Apesar da semana fria em São Paulo, o sol abriu pra valer no sábado, o que ajudou bastante a normalizar a temperatura da água na parte da tarde. Não que estivesse quente, aliás, estava um pouco agitada, inclusive com observação atenta dos bombeiros quanto à bateria mirim que viria após os marmanjos. Guarujá não é tão perto quanto Santos ou Praia Grande, mas eu gosto deste formato de prova, então valeu a pena fazer o passeio até o litoral.

A organização foi novamente da TH5 Eventos, que apesar de bem eficiente, ainda precisa rever dois pontos que eu já havia alertado quando participei desta prova no ano anterior: entrega de kit sem nenhuma identificação do corredor (RG, por exemplo) e área de transição muito aberta. Para quem não conhece eventos de triathlon e afins, a transição é uma área “imaculada”, ou seja, apenas atletas e organização podem ter acesso, e isto não era o que se observava no quadrado cercado por grades no meio da areia. Novamente, fica a sugestão de rever estes pontos.

A largada dos aproximadamente 300 atletas aconteceu um pouco depois das 14:00 horas, um pequeno atraso mas sem maiores prejuízos, pois trata-se de uma prova rápida. A maré estava tão “estica e puxa” que quase dava para ir andando até a primeira boia. Entre a primeira e a segunda boia a coisa era um pouco diferente, pois o nadador sacolejava no vai e vem da água, e para chegar à praia à partir da segunda boia dá-lhe perna para vencer a arrebentação. Daí é só sacar a roupa de borracha (para os que estavam com a vestimenta), calçar o tênis e correr 1,5 Km na areia mais 1,5 Km no
asfalto (calçada). E os tempos totais: Natação 00:10:26 Corrida 00:17:34. Camiseta bonita e medalha em acrílico com efeito "3D", ou seja, uma boa prova.

Pois bem, mudou-se a nomenclatura por determinação da Federação Paulista de Triathlon (SPtri) e Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri), mas o formato da prova continua o mesmo. Com um pouquinho de treino de natação você consegue enfrentar uma prova dessas numa boa, mas fica sempre o conselho de chegar um pouco antes e encarar o mar antes da largada para não “travar” logo na saída.

E voltamos ao calendário magro. Próxima prova, a menos que apareça alguma coisa inesperada, será a Maratona do Rio.

O jeito é começar a aumentar as quilometragens semanais...


4 comentários:

  1. Oi, Rinaldo! Caiu n'água de novo? Rsrs. Não está muito frio, não? Rsrs. Parabéns pela participação no aquatlon. Acho que nos vemos no Rio! Bons treinos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, falta corrida, o jeito é apelar para o mar.

      A gente se vê lá no Rio!

      Excluir
  2. Parabéns pela prova.
    Tenho vontade de fazer algo diferente também, mas um Aquathlon pra mim não dá, pois na água sou como um peixe: só saio se me tirarem. kkkkkk
    Abraço e nos vemos no RIO, combinado???


    tutta/BALEIAS/PR
    www.correndocorridas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, experimenta, você não vai se arrepender!

      A gente se vê lá nos 42K do Rio!

      Excluir