quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Precisamos conversar sobre a Maratona de Sorocaba

Já é senso comum entre os corredores de rua que a primeira edição de uma corrida pode (e vai) ter falhas, mas que de alguma forma poderá atender ao que se é esperado, seja diversão, meta pessoal ou simplesmente estar lá presente desde o nascimento do evento. Da minha parte, um pouco de irresponsabilidade em participar de mais uma maratona neste ano de 2017 (já havia feito, 4, apesar de uma ter sido em ritmo de treino), porém eu tinha um objetivo específico e a prova parecia atender diversos critérios. Facilidade de acesso, pois Sorocaba está a menos de uma hora da capital paulista, preço compatível com as demais corridas e a dedicação que a organização estava tratando a competição, pelo menos pelas impressões passadas pelo site da prova, que aconteceu no último dia 19/11. Mas, infelizmente, vários pontos precisam ser melhorados para que novas edições aconteçam.

O site da prova pareceu completo, trazia informações do percurso, vídeos, perfil altimétrico e atrações programadas. A largada às 06:15 da manhã de um domingo era o diferencial que a maioria dos corredores já solicitaram diversas vezes e poucos organizadores ouviram, sendo que o evento estava dividido em provas de 21 e 42 Km para o domingo e uma de 5 e 10 Km para o sábado de manhã. Outra excelente característica era a possibilidade de se inscrever por portais diferentes de inscrições, que cobram taxas distintas e que facilitam a escolha quando o corredor já possui cadastro. Também digno de elogios é o repasse das informações na semana da prova através de e-mails, onde todos os pontos foram revistos e confirmados. Palmas para a organização, que também permitiu a retirada no próprio dia do evento.


Sobre o kit, bem simples, sacola, brindes, camiseta e número de peito. Havia a possibilidade de escolher a cor da camiseta (rosa ou azul), o que ficou um pouco estranho uma vez que a prova era alusiva à campanha Novembro Azul da prevenção do câncer de próstata. Fato curioso, vi alguns corredores com viseira e squeeze, e no dia da corrida conversei com um atleta que me perguntou se eu havia recebido, pois nem todo mundo ganhou estes brindes, também sem confirmação. Com largada no Parque das Águas, tradicional local de eventos da cidade de Sorocaba, a estrutura da prova ainda sofreria com a forte chuva de sábado, com tendas derrubadas e outros problemas estruturais, porém atendeu de forma satisfatória os corredores no domingo. Um hotel da região, localizado a aproximadamente 2 Km da largada/chegada foi eleito como Q.G. da prova, e por isso sua lotação foi praticamente composta de corredores. O Sorocaba Park Hotel nos atendeu de forma impecável, com café da manhã completo a partir de 05:00 da manhã e extensão do horário de saída para 14:00, além dos ótimos serviços e acomodações.

No domingo, partimos com aproximadamente 5 minutos de atraso, mas com ótima dispersão em uma larga pista, o que permitiu que todos tomassem seus ritmos sem gargalos. Porém logo nos primeiros Km, um acidente entre um corredor e uma moto que circulava na faixa contrária causou tumulto. Todos errados, o corredor saiu do grupo para ajustar o tênis, o motoqueiro não teve o bom senso de andar devagar em meio ao evento e a organização não separou e
sinalizou o trânsito devidamente. Também sobre sinalização, as primeiras placas de Km foram afixadas em carros nas laterais das pistas, ótima visualização, porém nos trechos finais faltaram algumas delas (ou faltaram carros, talvez).

A prova foi anunciada como sendo “90% de reta na parte inicial (primeira volta)”, com pouca altimetria. Lenda. O percurso era composto por generosas subidas, e para uma distância longa, isto deveria ter sido melhor enfatizado. Muito corredor se inscreve em provas desafiantes, e não haveria problema em divulgar este fato, mas sabe como é, melhor não desanimar os demais desnecessariamente. O percurso, porém, apresenta um outro problema, passa praticamente por locais isolados, uma área industrial de Sorocaba, então o único público está em automóveis, muitas vezes represados pelo controle de trânsito e com motoristas estressados. Sobe e desce interminável, zero participação de público, 2 voltas para completar os 42 Km... teria sido um completo desastre não fosse o excelente trabalho do staff ao longo do percurso distribuindo água e outros itens, controle muito bom dos agentes de trânsito (apesar do acidente) e clima agradável na maior parte do percurso.

Porém o pior estava por vir. Desanimei de correr logo na primeira volta e quaaaaaaase entrei pelo pórtico nos 21 Km para acabar ali mesmo. Mas dada a teimosia desta criatura, continuei e acabei
enfrentando o trajeto tortuoso. A meta passou então simplesmente terminar abaixo de 5 horas, tempo que considero ser o mínimo de honra para um maratonista. Dito e feito, tempo líquido 04:59:23, e a surpresa final. Quem corresse sábado e domingo ganharia 2 medalhas, que iriam compor uma mandala, sendo que maratonistas ganhariam ambas. Porém ao receber a primeira, a maior, uma pessoa da organização informou que havia ocorrido um “problema” e que “pipocas haviam pego medalhas e agora estava faltando”. Deixa eu explicar em detalhes:

Entregar medalha (ou qualquer outro item) para pipocas é o máximo de desrespeito que uma organização de corrida pode proporcionar aos corredores pagantes.
Se é assim, no próximo evento eu simplesmente não pago e vou!

Vamos elogiar então o trabalho da própria organização, que reconheceu o erro, recebeu as devidas críticas dos corredores no momento e anotou cada um dos nomes e telefones, entrando em contato no dia seguinte para solicitar endereço para envio da medalha. Demorou um pouco mas chegou. Ponto positivo, mas o transtorno poderia ter sido evitado, bastava dizer “NÃO” aos pipocas.

Eu gostaria de deixar claro que este não é um post de “hater” simplesmente, quem já leu os demais que eu postei sobre corridas e maratonas sabe que fico muito feliz em relatar os pontos bons das corridas, mas que quando é necessário eu exponho fatos não muito coloridos. O blog não tem por objetivo formar opinião ou angariar inscrições gratuitas para mim (como muito blogueiro faz, diga-se) e esconder os acontecimentos do leitor, por quem tenho a maior consideração por estar passando aqui pelo meu espaço.


Desejo, sinceramente, que possam ocorrer melhorias e que a prova tenha vida longa, mas para o momento restou relatar os fatos, que não foram lá muito divertidos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário