quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

De que lado você está?

A tal polêmica sobre a necessidade de identificação de corredores e ciclistas na USP através de uma carteirinha talvez nos ajude a perceber um problema cada vez mais sério em São Paulo: as pessoas querem praticar atividades físicas ao ar livre, mas não tem espaço! Não temos praia (dizem que praia de paulistano é shopping center...), então o jeito é arranjar algum espaço livre, nem sempre muito seguro, para curtir um pouco do tempo livre e fazer algo bom para a saúde.

A Revista Runner’s World deste mês trouxe uma matéria muito interessante sobre os perigos de correr nas ruas movimentadas das cidades grandes, com exemplos bem impressionantes. Foi daí que percebi o seguinte: o povo também não colabora, e não estou falando somente de motoristas. A regra é simples: correr, no sentido contrário dos carros e na faixa da esquerda (direita para quem vem), pedalar, no sentido do trânsito e na faixa da direita (direita para todo mundo). Só que tem gente que não pensa muito bem nisso e depois se machuca de bobeira.

Aqui na Zona Norte da capital, um dos pontos mais legais para correr e pedalar é o entorno do Aeroporto Campo de Marte (palco da Fórmula Indy no próximo mês), que oferece as avenidas Olavo Fontoura, Santos Dumont e Brás Leme com suas retas planas e com apenas algumas travessas e entradas à direita, ou seja, pouco paramos para esperar o trânsito. Mesmo assim, vejo sempre corredores sem nenhuma visão dos carros, correndo praticamente pelo meio da faixa, sendo que nestas avenidas há algumas linhas de ônibus também. Ciclistas, nem precisa dizer, em todas as direções e faixas possíveis. E é claro, motoristas que gostam de tirar “finas” ou simplesmente ignoram quem está fora de seus preciosos veículos.


Exibir mapa ampliado

Então de quem é a culpa? Simples: como tudo neste país, tem que haver fiscalização e punição, só assim o brasileiro aprende! Imagine um policial parando um corredor e atuando em flagrante: correndo no sentido dos carros... tem RG? multa; não tem? chama o camburão e vamos tocar piano na delegacia... pronto, tudo resolvido! Vale para os ciclistas também, ok?

Separei dois links interessantes sobre o Código de Trânsito Brasileiro, caso você queira saber um pouco sobre a legislação (um bem direto ao assunto e o outro na íntegra):

A Bicileta no Código de Trânsito Brasileiro

Código de Trânsito Brasileiro (CTB)

Seria tão fácil acabar com esta guerra no trânsito, dentro e fora da USP, e permitir que as pessoas aproveitassem melhor as vias públicas.

Como sempre, depende única e exclusivamente do fator humano.

5 comentários:

  1. Olá Rinaldo! Vc colocou algo muito importante. Realmente fica cada vez mais dificil se movimentar sem o entendimento das regras, e das possibilidades que cada esporte aufere.Ontem mesmo, quase fui atropelada por uma porta de um carro que se abriu qd eu estava descendo de bike, no lugar certo, na direção correta, enfim, a falta de lucidez diante do mundo imperam! As pessoas nao respeitam os ciclistas, pedestres nao respeitam corredores, motos nao respeitam os carros, e por ai vai... Olha só que absurdo: estava quarta fazendo tiros e pedi gentilmente para que liberasse a raia 1... simplismente nao saiam, e vc é obrigado ou a desviar ou a passar na fresta, podendo causar serios danos em vc e na pessoa. Simplismente porque ela quer passar na raia 1 sendo que há outras 5 raias disponíveis. Vc imagina no transito em Sp? Fica quase impossivel.... Mas valeu ai a discussão, e espero que tenhamos mais frutos positivos sobre a socialização dos espaços públicos. abraços, pri

    ResponderExcluir
  2. Olá. Desculpe vir assim... meio na “correria”; mas é que estou divulgando meu último trabalho e gostaria de saber sua opinião sobre este assunto atual e sempre instigante; falo do conto “O Diário de Bronson” que trata do tema vaidade e verdades.
    Espero a sua visita e prometo retornar com melhores modos e mais tempo. (sorrio).
    Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com. Parabéns por seu blog e bela postagem!

    ResponderExcluir
  3. Bela materia Amigo !! como vc comentou poucas pessoas tem noção do perigo de correr em faixa de acostamento de estrada ., se esse for o caso ,o melhor é correr na contra mão do fluxo ., vendo tudo que vem de encontro .,

    Valeu Amigo
    Avicor
    www.avicor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ótimo Post!!!

    Não tem jeito.
    Essa é a dor de cabeça de todos que praticam esporte ao ar livre, ainda mais sendo corrida ou bike.
    Ainda existem alguns motoristas com educação, alguns até cumprimentam e incentivam quando corremos, já outros, não sei se é de proposito, para fazer graça ou falta de atenção mesmo, mas acabam vindo pra cima da gente.

    Aquela velha regra que diz: "Devemos dirigir por nós e pelos outros" é valida tambem quando praticamos esportes, "Devemos correr por nós e dirigir pelos outros."

    Aqui na minha cidade existe ainda a lagoa do taquaral(Campinas/SP), mas mesmo com a ciclovia, desenhada no chao, ninguem respeita.

    A dica é: Correr sempre em direção contraria aos carros e nunca perder a atencao no transito.

    Parabens pelo POST!

    abraços

    Leonardo Nista
    www.corroporcorrer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Aí que está o problema, amigo Rinaldo... O "fator humano"! Infelizmente, no Brasil, não existe civilidade, respeito pelas normas de convívio entre os membros duma sociedade. São poucos os que se preocupam com o próximo e entendem que o seu limite está no início do direito o outro!

    Abraço,
    Kleber RG
    "Vida Corrida" - http://kleber-rg-runner.blogspot.com

    ResponderExcluir