domingo, 12 de agosto de 2012

Corrida Centro Histórico: valendo ouro

Por algum motivo, e eu talvez até adivinhe qual, as inscrições da Corpore Corrida Centro Histórico esgoatavam-se rapidamente, mas neste ano foi possível inscrever-se no evento bem próximo da data da prova. Meu palpite pela redução na procura é composto por diversos fatores: preços das inscrições, percursos já manjados e diversos eventos em um único dia ou nas próximas semanas. Mesmo assim esta prova continua sendo única no calendário, passando por diversos pontos (supostamente) turísticos do centro de São Paulo, apesar de outras já percorrerem parte do circuito.

Kit simples, a tradicional camiseta preta de manga comprida e o essencial da corrida, apesar de não ter chip descartável, inclusive com retirada no próprio dia. O acesso era muito fácil, apesar de terem sido disponibilizadas algumas vagas próximas à arena, a maioria dos corredores chegou de Metrô, pois toda a estrutura estava montada entre as estações São Bento e Anhangabaú. Próximo do momento da largada era difícil dizer se além dos atletas existiam mais moradores de rua tentando entender o que acontecia ou “pipocas”, corredores sem inscrição, que já se preparava para entrar nas baias de largada.
Apesar de pontual no horário de início, consegui passar pelo pórtico com mais de 8 minutos de prova, de tanta gente no evento (aproximadamente 7.000 pelos dados da Corpore). Esta é uma daquelas provas onde é altamente aconselhável virar o mostrador do relógio no pulso, pois os encontrões e esbarrões são inevitáveis, e não precisa muito para alguém parar o seu cronômetro acidentalmente.

Sem variações no percurso, um verdadeiro “rolê”, na linguagem paulistana, pelo centro da cidade, passando pelo Viaduto do Chá (no início e no fim), Av. Ipiranga, Av. São João, Praça da República, Viaduto Santa Ifigênia, Pátio do Colégio, Praça da Sé e naturalmente as proximidades da Faculdade de Direito, uma vez que um dos patrocinadores era a OAB.
Um sobe e desce danado, geografia difícil e desafiadora para um prova, mas as quebras de ritmo ocorriam mais pela quantidade de pessoas andando pelo percurso do que pelas subidas propriamente ditas. No total, apertando o passo aonde tinha brechas, consegui fechar os 9 Km em 57:04. O clima favorecia, com sol esquentando lentamente a manhã, mas além dos desvios dos outros corredores, o ar em São Paulo está “irrespirável”, pois não chove há alguns dias e a poluição só aumenta.

Como sempre a organização da Corpore foi bem ativa e não há do que reclamar. Kit com lanche ao final e copo de Gatorade, também patrocinador. Eu não corria esta prova há uns 2 anos, especialmente pelo fato de não conseguir inscrição quando chegava próximo da data, mas valeu a pena voltar ao circuito. Geralmente, quando não tenho coisa melhor para fazer, gosto de passear pelo centro da cidade, pois lá encontra-se quase tudo que consumo normalmente, algumas bugigangas e o melhor são os preços, menos abusivos que nos shoppings.

Bom, neste caso, vamos sugerir para o organizador incluir no próximo ano uma passadinha pela R. 25 de Março...

Um filho teu não foge à luta!

Minha humilde (porém muito bonita) medalha de latão é dedicada aos 3 brasileiros “raçudos” que completaram a Maratona Olímpica no dia de hoje lá em Londres:


5º Marílson Gomes dos Santos – 2h11min10
8º Paulo Roberto de Almeida Paula – 2h12min17
13º Franck Caldeira – 2h13min35

Só quem já correu uma maratona sabe o que se passa na cabeça do corredor naqueles 42.195 metros. Imagine então o que passa quando vale medalha olímpica! Não abandonaram, não ficaram por último, chegaram entre os 15 primeiros e devem ter dado até a última gota de suor para estar ali na frente. Isto merece respeito, do Oiapoque ao Chuí. Para quem gosta de criticar resultado olímpico, aí vai o lema da semana:

VAI LÁ E FAZ MELHOR,
NÃO VI VOCÊ NA TELA DA RECORD!

Parabéns aos heróis, sem medalha, mas com toda a admiração que merecem do nosso povo e em especial dos nossos corredores!

6 comentários:

  1. Parabéns pela prova Rinaldo.
    Adorei a foto da medalha em cima do muro do viaduto.

    E em relação aos brasileiros na Maratona Olímpica, só faltou mesmo uma medalha, pois os três correram maravilhosamente bem.

    Abraço e tudo de bom.


    tutta/Baleias/PR
    www.correndocorridas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Tutta! Quem sabe na próxima Olimpíada, já vou cogitar comprar ingressos para ver a final da Maratona!

      Abraço!

      Excluir
  2. Parabéns por mais uma prova, Rinaldo! Esta do Centro Histórico é muito bonita mesmo! Ultimamente, não tenho participado dela, mas ainda volto um dia a participar!
    Concordo com você sobre a opinião do público sobre os resultados das Olimpíadas! "Vai lá e faz melhor!". Rsrsrsrs. É isso aí! Bons treinos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mayumi,

      Eu também fiquei afastado desta prova nos últimos anos, mas é uma das melhores do circuito Corpore.

      Abraço!

      Excluir
  3. Rinaldo, Parabéns pela conquista. Depois de ler seu post fiquei com vontade de participar dessa prova e ver o centro de São Paulo dessa perspectiva também! Obrigado por compartilhar a experiência!

    Até a Próxima Volta!
    Bruno Chinellato
    improvavelcorredor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Valeu Bruno, realmente recomendo esta prova, vale muito a pena.

    Abraço!

    ResponderExcluir