segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Meia de São Bernardo do Campo: só os fortes sobrevivem!

Sabe aqueles dias em que nada dá certo? Bem, não foi este o caso, apenas algumas coisas não saíram como planejado, e isto faz parte de um percurso de 21 Km, especialmente cheio de altos e baixos como o da 10a. Meia Maratona de São Bernardo do Campo deste último domingo. Percurso que eu já conheço e adoro, repleto de subidas, descidas, trecho correndo ao lado dos carros e caminhões na rodovia, e o melhor de tudo, organizada pela Corpore. Preço módico, R$ 50,00, dificilmente você encontra um evento desta distância neste valor.

Como São Bernardo do Campo é município vizinho de São Paulo, porém do outro lado da cidade, o jeito foi sair muito cedo para dar tempo de retirar o kit. Este ponto é essencial para quem não mora na região, eu mesmo não atravessaria esta distância toda na véspera só para retirar camiseta, número e chip (convencional, não descartável) e voltar no dia seguinte para correr. Em uma pesquisa de satisfação da Corpore, enviada por e-mail nesta segunda, destaquei que este item poderia se estender a outras provas, pois é irritante ter que se deslocar só para retirar o básico para corrida. Sem contar quando alguns organizadores mudam o local de entrega...

A concentração ocorreu no Ginásio Municipal, onde tive a oportunidade de encontrar os colegas Alessandro (Correndo Que Me Entendo), Ivana (No Mundo das Lulus) e Claudio Dundes (Cia. Ex-Sedentario) entre outros antes da largada. Outros pontos de excelente organização: estacionamento, guarda-volumes, entrega de kits e principalmente a largada em ondas, separadas por intervalos de 5 minutos a partir de 08:15. Sim, um horário um pouco tarde para uma meia maratona, mas o clima ajudou e até um ventinho frio bateu em alguns pontos, colaborando com a performance. Corredores de 5 Km e caminhantes largavam depois, mas eu continuo defendendo que caminhantes devem largar depois de TODOS os corredores.

O percurso é composto de grandes retas por avenidas e algumas ruas estreitas, onde o pessoal da região sai para prestigiar os atletas. Que bom, pois no caso dos trechos com trânsito interditado, muita cara feia nos aguardava. Acompanhei a colega Ivana até o Km 13, e vou lançar aqui a campanha: vamos elegê-la vereadora, ela conhece todo mundo pelo caminho! Ivana, eu voto em você se liberar mais verba para corridas de rua!

Mas apesar da divertida companhia até este ponto, em um ritmo muito bom de 06:30 por Km, o pneu furou. Não foi tênis não, e sim uma dor chata que vai e vem no meu pé. O problema que atacou de uma hora para outra e eu nem tive tempo de avisá-la que ia diminuir o ritmo, simplesmente cortei a velocidade e trotei por algum tempo, o suficiente para perdê-la de vista. Para ter uma ideia, no dia anterior sai para pedalar, coisa básica, 90 Km e a dor aconteceu com sapatilha também. Lá vou eu para o médico de novo, mas não agora.

No Km 15, já recomposto, acelerei e descobri outro problema: de novo, mais uma vez, novamente... mamilos sangrando! Caramba, eu coloquei Band Aid e esparadrapo antes de sair e o negócio não aguentou o suor. E com o atrito, lá se vai a mesma camiseta toda manchada de sangue. Ao final parecia que eu havia amamentado um vampiro... Estas coisas te desestabilizam mentalmente, mas eu não paro em prova, só se a situação estiver feia. Mais ritmo perdido e mais um pouco de dor no pé mais a frente.

Cruzei o pórtico com 02:25:07 (líquido), meu normal nesta distância, não o melhor nem o pior tempo, apenas o de sempre. E lá vem o terceiro problema: um resfriado que não deu sossego nos dias anteriores virou uma crise de tosse logo após a chegada. Contundido, sangrando, resfriado e massacrado pelo exercício do dia anterior. Mas completei mais uma meia maratona, quero ver quem se mete a besta de dizer que foi pouco!

A medalha não é das mais bonitas contudo a crítica maior é a mesma do ano anterior: igual para todo mundo, não desmerecendo que fez as outras modalidades, mas poderia ter uma indicação de distância.

Agora, utilidade pública: divulgue aos seus amigos que pretendem correr esta prova no próximo ano o fato do estacionamento do ginásio ser gratuito e ter muitas vagas. A foto ao lado, por exemplo, é oficial do trânsito do local, ou seja, só não chega quem não quer. Vi gente deixando carro na rua e sendo extorquido por flanelinhas e estacionamentos clandestinos que chegavam ao absurdo de cobrar R$ 30,00 por veículo. Informação é a melhor forma de deixar esta gente sem “emprego” nestes dias.

Mais uma missão cumprida, minha distância predileta mais uma vez completada!

10 comentários:

  1. Rinaldo apesar das adversidades vc está de parabéns por mais um desafio concluido é isso aeee, provas com altas subidas [e um terror para alguns corredores, eu fico imaginando os corredores de pontas como eles conseguem correr todas essas subidas num pique louco...rssss....
    Quanto ao estacionamento é um roubo 30 pratas se as inscricoes já estao caras imagina indo correr de carro um verdadeiro absurdo...seria uma opcão mais baratas os organizadores fazer que nem fez a COrpore estacionamentos gratuitos ou entao a galera irem para a prova de bike.
    Melhoras aeee campeão.

    Boa semana e bons treinos,

    Jorge Cerqueira
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Jorge! As subidas desta prova são duras mesmo, mas o percurso é muito bom. A Corpore é uma das poucas que ainda se preocupa com o estacionamento, existem outras que até informação errada passam neste sentido.

      Bons treinos e boas ultras!

      Excluir
  2. E ai Claudio esta melhor hoje ? Vou dar uma sugestão pra voce passa vaselina no peito ela não sai com o suor e em vez de usar band-aid use esparadrapo cirurgico(qq farmacia tem) , que tambem não sai com o suor, eu uso vaselina e acabou meu problema, o estacionamento realmente só pagou quem foi apressadinho, pois tinha tambem ate o carrefour, só acho que faltou isotonico na prova , e colega pedalar 90 km e correr no outro dia? Vc é louco.. Parabens , e eu que estava fazendo churrasco no sabado sentado para me poupar no domingo kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredite, tentei tudo isso, não deu certo, vou buscar outras soluções. Realmente o estacionamento é revoltante, vamos divulgar para que isto não aconteça mais.

      E sim, eu tenho uma certa dose de insanidade mesmo...

      Abraço e a gente se vê nas próximas!

      Excluir
  3. Saudações por mais uma meia maratona completada e pelo belo relato dela, Rinaldo. Amamentar vampiro é triste... De vez em quando eu faço também as minhas doações ao banco de sangue, mesmo devidamente "vaselinado". Todo ano eu falo que vou fazer essa prova em SBC e todo ano acabo não indo. Vou ver se paro de falar, deve ser esse o problema.

    Abraço e boas corridas (e pedaladas).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Namiuti! Eu tomo os devidos cuidados com o atrito, mas mesmo assim o suor foi mais cruel desta vez.

      Então fica a sugestão e o convite para você participar da próxima, a prova é muito boa.

      Abraço!

      Excluir
  4. Ihhhhh, puxa!!!!

    Me desculpe por deixá-lo para trás... quando percebi você tinha ficado e até diminui o ritmo. Mas como tinha dito que estava resfriado, achei que tinha diminuido por causa disso.

    Parabéns!!! Terminar essa prova é tudo de bom!!!

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problemas, já valeu pela companhia até o Km 13! Eu continuo resfriado, mas o que bagunçou o meu ritmo foi a dor no pé mesmo.

      A gente se vê nas próximas!

      Excluir
  5. Nossa Rinaldo, quantos problemas heim? rsrs
    Ainda bem que você foi guerreiro e não deixou se abater por eles.
    Parabéns pela prova.

    Abraço e sucesso pra você.


    tutta/Baleias/PR
    www.correndocorridas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, tem dias que um problema só não é o bastante, tem que aparecer uns 3 de uma só vez, mas o que importa é completar a prova. Pena que a camiseta deu "perda total" com a mancha...

      Abraço e bons treinos!

      Excluir