quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Vale Quanto Pesa...???

Dependendo da sua idade, ou melhor, se você já passou dos 30, provavelmente deve se lembrar de uma marca de sabonete chamada “Vale Quanto Pesa”. Eu era criança mais ficava intrigado o porquê deste nome, e hoje que faço as compras no supermercado sei que cada centavo economizado é bem vindo. Ah, então vai falar neste post sobre qual o melhor sabonete para após a corrida? Não, vou falar do quanto vale o dinheiro que você gasta em uma inscrição de corrida de rua. Ou o quanto não deveria gastar. Resumindo, se vale (ou não) o quanto custa, ou o quanto pesa no seu orçamento de corridas.

Em quase 8 anos participando de corridas de rua, identifico 2 formas das minhas presenças nas provas: quando ganho a inscrição ou quando pago do meu bolso. Neste último caso, superei os 3 dígitos no valor que vem logo após o “R$” poucas vezes nas últimas 186 participações, geralmente em provas com logísticas diferenciadas que até chegam a justificar os valores. Mas pagar 3 dígitos em uma corridinha qualquer, isto eu não faço. Já fica de alerta aos organizadores para este ano: meu salário não é corrigido com os mesmos números que vocês corrigem o preço das corridas.

Parece que recentemente houve uma preocupação excessiva por parte de algumas empresas em registrar nomes de corridas, gerando inclusive alguns desconfortos entre organizadores de provas. Vamos cortar caminho e ir direto ao ponto: a preocupação dos organizadores deveria ser ficar com bobeira com nome das provas ou se preocupar em proporcionar um evento decente para os corredores? Por “decência” não estou me referindo a kits cheio de bugigangas, que apesar de ser legal ganhar, não podem ser trocados por itens básicos como estrutura, segurança, acessibilidade, apoio médico, hidratação e um que poucos organizadores se preocuparam até hoje: controle dos “pipocas”, que acham que podem participar do evento e ainda sair com kit e medalha ao final, igual a quem pagou. Ah, é claro, e também investir em contratar pessoas que tratem o corredor com respeito, ou seja, treiná-las antes de colocar para atender. Neste último caso, tenho um exemplo interessante: na minha última
participação na prova que acontecia no meio da tarde e que agora passou para a manhã, os kits pós-prova eram jogados de cima de um caminhão para os corredores. Infelizmente já escurecia e meu celular não conseguiu fazer uma boa foto, mas eu lembro muito bem da cena.

Falem bem, falem mal, mas...

Já sabe o resto. O problema é: e se não falarem de você? Simples, você será esquecido! Você, ou qualquer outra coisa, quando ninguém fala ou comenta a respeito, está fadado ao oblívio, ou seja, sua existência não fará mais diferença. Lembra do vilão do Harry Potter, o Vol... não vou falar, senão ele volta (e dá processo!) . Por mais ingênua que seja a ideia daquele vilão, a mensagem era clara, se você não quer que algo seja lembrado, não fale o nome! É por isto que neste ano que passou você não me ouviu falar de alguns eventos no calendário, por mim eles podem ser esquecidos, uma vez que não ofereceram o suficiente para que eu voltasse a participar. E já que nomes não podem ser citados, pois viraram propriedade, não vou falar mesmo.

E o motivo desta discussão

Este é o primeiro post do ano, trago um assunto polêmico logo de cara, afinal janeiro você quase não gasta dinheiro (IPVA, IPTU, ”I“ sabe-se lá mais o quê). Minha estratégia para 2014: menos provas, mais treinos, provas selecionadas a dedo. Já te aviso que teremos menos posts e menos coberturas, mas com certeza o blog não vai deixar de estar interessante.

Aguarde...

2 comentários:

  1. Realmente Rinaldo. Tem provas que compram caro e não oferecem nem o básico. Me lembro desta cena que você citou. Estava presente e achei um absurdo. E apesar de ser bem desorganizada, esta é uma daquelas provas que pretendo participar sempre.

    Grande abraço e tudo de bom sempre.


    tutta/Baleias-PR
    www.correndocorridas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Tutta, eu já estou cortando as gordurinhas do cardápio de corridas. Nesta referida prova que estamos falando eu não pretendo ir mais, pelo menos enquanto continuar neste formato.

      Grande abraço!

      Excluir