quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Corrida 24 Horas na Pista: Self-Service

Ainda não foi desta vez que eu enfrentei uma ultramaratona de ponta a ponta, daquelas que começa em um dia no calendário e termina no outro. Mesmo assim, participei pela terceira vez da Corrida 24 Horas na Pista, evento que tradicionalmente acontece na Virada Esportiva promovida pela Prefeitura de São Paulo, um evento simples mas muito bacana. E o melhor: gratuito.

A saga começou no ano passado, quando fiz um trecho no início da noite, com clima agradável e bastante animação por parte dos corredores. Vi muitas barracas armadas no centro do local, um campo de futebol que deu lugar a uma quantidade expressiva de
equipes e guerreiros solitários que lá armaram suas tendas para enfrentar quantos quilômetros fosse possível dentro do prazo de 24 horas. Tendo já armado acampamento na Ultrarunner 50 Km em Praia Grande meses antes, pensei que seria no mínimo divertido passar este tempo todo em uma pista de corrida, mesmo que o sono fosse para o espaço. Decidido, em 2014 iria fazer as 24 horas, uma vez que estas provas não custam barato e esta era de graça.

Mas, nem tudo é como planejado: Ironman, uma série de corridas menores, proximidade da Maratona de São Paulo e uma brusca virada de tempo na véspera, fazendo as temperaturas despencarem. Apesar de munido de autorização da organização (sim, precisa) para armar a barraca, resisti até o último momento e saí de casa no sábado à tarde apenas para fazer um caprichado treino de rodagem. Enfrentar o monstro? Não, vamos usá-lo para bater em outro monstro, a maratona que vai
acontecer em menos de 1 mês. Uma lesão agora é tudo o que eu não preciso, sem contar o desgaste que não pode ser negligenciado.

O dia continuava com aquela cara de que “vai chover a qualquer momento”, mas na pista a euforia era geral. Às 14:00 em ponto a largada foi dada, e apesar de ser uma prova longa para todos, tem gente que não resiste e já sai com o pé no acelerador, pelo menos para a primeira volta. Este ano apenas número de peito e chip, nada de camiseta, mas pelo menos tinha hidratação e guarda-volumes. Também vi alguns pacotes de gelo no meio da prova, mas não sei se foram disponibilizados para as pernas cansadas dos atletas.

E como é este negócio de correr em pista? Simples, você corre 1 volta (400 metros), mais uma, e outra, e outra... e a mente desliga. Eu
sou do tipo que perde a contagem fácil, fazer natação em voltas na piscina é um parto, sempre me perco na contagem e estrago a distância final do treino, mas fora d’água eu posso utilizar o elaborado dispositivo ao lado, usado para contar pessoas na entrada de eventos, mas que funciona muito bem neste caso. É claro que os mais espertinhos vão querer esnobar o GPS, mas eu já aviso: 1) vai marcar errado, afinal, só a raia 1 tem 400 metros (geometria pura); 2) a bateria não dura 24 horas e você não vai ter aonde carregar.

É claro que quem faz a prova solo dá umas caminhadas em diversos trechos, para soltar um pouco as pernas e é claro, contabilizar Kms. A cada 2 horas o percurso muda de direção de forma bem organizada, e o tédio é quebrado por algumas voltas. Nesse vai e vem ainda encontrei os colegas Fábio Namiuti e o Corretor Corredor, que também estavam no trecho da tarde de sábado. Após 04:07:00 terminei meu “treino” com 78 voltas, um total de 31.200 metros (31 Km), em voltas de 400 metros. Sim, é o que você pensou: haja saco.


O domingo amanheceu com chuva, minhas pernas ainda doíam e achei melhor não voltar à pista, algo que era totalmente permitido aos atletas. Mas, na minha humilde quilometragem de treino no sábado, ainda rendeu um 4º lugar na faixa etária.


Pena que não tinha premiação por faixa, só para os primeiros colocados no geral, que rodaram em torno de 170 Km... um dia eu chego lá.

2 comentários:

  1. Puxa!!!
    Até pensei nessa prova mas não sabia da data... que pena!!!
    Fica para o ano que vem!!!
    Parabéns, você está detonando!!!
    Já me inscrevi para os 25 Km!!!
    Abração!!!
    Ivana
    statusnacorreria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É fácil, a prova é sempre na Virada Esportiva, mas tem que ficar de olho quando abrem as inscrições.

      A gente se vê lá na Maratona!

      Bons treinos!

      Excluir