segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Esse foi 2018: 10 anos de blog, Comrades, provas tradicionais e corridas diferentes...


Nem precisa se preocupar, não vai ser mais uma daquelas “retrospectivas” de fim de ano, mas vale a pena lembrar o que marcou a vida deste blog e do blogueiro na linha de chegada de hoje.

Para começar, este blog completou recentemente 10 anos de existência, com sua primeira postagem em 18 de Novembro de 2008. Como o Facebook não existia da forma como utilizamos atualmente, os blogs de corridas de rua estavam em alta, muitos corredores postavam suas corridas, dicas, levantavam questões e até se conheciam pessoalmente! Grandes amigos saíram destes textos para a vida real, mesmo com as postagens nas redes sociais serem em maior volume e muitas vezes se perdendo em meio à tanto conteúdo. Resolvi não migrar tudo para o Facebook, mas a página do blog na plataforma aponta para cada uma das postagens, levando o conteúdo para quem quiser seguir o texto todo.

A primeira postagem...
Bobinha, né? Mas tinha que começar de algum jeito!
E teve a Comrades, é claro, cruzar o Oceano Atlântico até a África do Sul para correr.... 90 Km! Lembrar que um dia eu coloquei a dúvida para mim mesmo se terminaria uma prova de 6 Km, e depois de 12 anos correndo partir para uma loucura dessas, realmente tem “um oceano” de bons e maus momentos no asfalto. Se eu volto no próximo ano? Infelizmente não, dado o fato de ter outros compromissos, mais a logística (e grana!) para um viagem dessas, minha participação está registrada. Para não ser repetitivo, há uma sequênciade postagens sobre a prova, e ficarei muito feliz em responder qualquer pergunta que o leitor possa ter sobre o evento, o qual recomendo totalmente.

são mais de 12 horas em movimento, levantar às 03:30 horas da manhã
até chegar no hotel às 20:00 horas, mas vale cada momento!
A insistência em fazer as provas locais é tão grande que nem produzi muitas postagens sobre o assunto, pois o blog já tem material suficiente sobre edições anteriores. Continuo gostando muito tanto da Meia quanto da Maratona Internacional de São Paulo, além da SP City Marathon e corridas menores como Sargento Gonzaguinha, Maratona de Revezamento Pão de Açucar, Olga Kos e Circuito da Cidadania. Esta última, porém, mesmo que tenha continuação, não participarei mais, dado um problema com a inscrição que quase me levou a ir para o evento no dia de bobeira. A cada ano seleciono as provas tradicionais que vou, sempre alternando para poder medir o quanto melhoram ou pioram, exceto a Gonzaguinha, que participo anualmente como fechamento do meu calendário.

Porém foi na participação em provas novas e com menor estrutura que percebi o quanto os organizadores se esforçam para realizar um bom evento para os corredores. Maratona Nilson Lima em Uberlândia (esta apenas 15 dias após a Maratona de São Paulo, como treino para a Comrades), Corrida Barão de Jundiahy nas dependências de uma base do Exército Brasileiro e as MeiaMaratonas Caminhos do Mar e de Alphaville (os 21 Km mais pesados que já fiz!) foram surpresas agradáveis que valeram os deslocamentos até as cidades onde aconteciam.

E por fim, nenhuma lesão grave, nenhum susto, e os quase 1.500 Km de treino no primeiro semestre no treinamento da Comrades fizeram um ano sensacional para o meu calendário, digno dos 10 anos de existência do blog!

Novidades vem aí, não só nas provas, mas até nas postagens, que vou retomar com mais frequência (pronto, faltava um promessa de Ano Novo...)

Sem mais enrolação, ano que que vem tem mais, Feliz 2019!

Nenhum comentário:

Postar um comentário