quarta-feira, 3 de julho de 2019

Treinão Rústico Reverso do Maquininha

Você conhece o Locutor Maquininha? Talvez não tenha prestado atenção em quem é ele, mas se tem o hábito de correr provas na capital Paulista e interior, além de grandes eventos de ciclismo como o Brasil Ride, possivelmente já cruzou a linha de chegada com a empolgação dele no sistema de som bradando um marcante “Paaaaaarabéns!!!”. E no último ensolarado dia 09 de Junho ocorreu mais um evento que leva seu nome, o Treinão Rustico Reverso do Maquininha – 4ª. edição, com largada e chegada em frente à estação ferroviária do distrito de Sabaúna em Mogi das Cruzes, SP.

Inscrição minha de última hora, fiquei por último na listagem de retirada dos números de peito, aliás, único item do pré-prova, sem kit, camiseta ou outras parafernálias que já estamos cansados de receber e que só encarecem inscrição. Então, com honestos R$ 35,00 paga-se a inscrição de um evento simples, mas que conta com uma boa organização, pontualidade e segurança para os corredores. Percursos de 5, 8.5 e 15 Km disponíveis no momento da inscrição, e é claro, eu queria logo o de maior distância para aproveitar o contato com a natureza de um treino rústico por estradas de terra batida. Apesar do tempo firme e com sol, alguns lamaçais pelo caminho para carimbar um pouco os solados dos tênis.


Largando ao lado da simpática estação ferroviária de Sabaúna, em uma pacata rua com boa estrutura de padarias e comércios, os corredores seguiam por uma região de estradas de terra que estavam abertas ao trânsito, mas muito tranquilas no domingo de manhã. Aliás, cruzava-se mais com outros corredores solitários, caminhantes e ciclistas do que com veículos automotores. Sobes e desces para todos os gostos, e devemos ter percorrido pouco mais de 500 metros de asfalto neste percurso todo,
ou seja, rústico mesmo. A hidratação estava bem localizada a cada 3 Km em média, mas como levei mochila de hidratação, nem precisei utilizar este serviço. Provas de trilha e em natureza em geral exigem descarte adequado, não é apenas tomar e jogar no chão, por isso mesmo um cuidado especial em fornecer a água em sachês de plástico, fáceis de guardar nos bolsos até um ponto adequado de descarte.


Apesar de ser um treino, teve até premiação com troféu para os mais
rápidos, além de uma medalha de tamanho, digamos, generoso. A parte bacana de correr em um evento deste tipo é a grande diferença de estar cercado de milhares de corredores, aqui não tem esbarrão, cotoveladas ou qualquer atropelo, cada um no seu ritmo e curtindo a natureza ao redor, cercado de ar puro.

E no final, é claro, o tradicional “Paaaaaaarabéns!!!”


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião, a favor ou contra o texto, será sempre respeitada, desde que você também respeite a educação e os bons costumes. Infelizmente (sei que não é o seu caso) eu tenho que deixar a moderação ativa, pois sabe como é, tem gente que não sabe se comportar...