sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Um paulista estressado correndo no Ceará

Pode ficar com inveja, eu deixo, mas esta foto aí do lado é uma das paisagens que eu visitei nas minhas recentes e curtas férias, uma das diversas praias sensacionais dos arredores de Fortaleza, Ceará. Mas como este negócio de férias não existe para corredor, o tênis de corrida foi na mala, mesmo sem saber o que eu iria encontrar.

Como não tenho pretensões de virar guia turístico, deixo os detalhes do local para quando você estiver lá e for devidamente instruído sobre as diversas paisagens fantásticas do local. Posso dizer apenas que o povo de lá é extremamente gente fina e não tem como não gostar de tudo o que a região oferece. Por sorte eu cheguei bem no dia posterior ao fim daquela greve das autoridades policiais, apesar de que homens do exército ainda guardavam alguns prédios públicos.

Mas voltando ao que interessa: não dá para passar uma semana na mais absoluta comilança e pouca atividade física e esperar voltar faltando três dias para uma prova de 10 Km (SESC Santo Amaro, próximo domingo) e ainda conseguir correr. Pensando nisso, aproveitei esta praia aí da foto, conhecida como Lagoinha e fui dar um “trote” de uns 6 Kms. Nada de MP3, tênis com amortecimento, ou qualquer apetrecho, apenas o vestuário básico e um óculos de sol. Como a praia não é do estilo “de tombo”, ou seja, com caimento em direção à água, é ideal para dar umas passadas sem forçar um lado somente da musculatura.

A única coisa que senti no dia seguinte foi um pouco de desconforto na panturrilha, que não está acostumada a ter que trabalhar tanto durante as passadas. Ah se eu tivesse uma dessas paisagens aqui, não perdia tempo e dinheiro com academia! Os únicos cuidados eram referentes às conchas em alguns pontos e pequenas piscinas de água, que escondiam alguns buracos consideráveis. No mais, correr descalço na areia é um barato!

Outro ponto que chamou a atenção era a região onde eu estava hospedado, próximo à praia de Mucuripe: todos os dias, não apenas no final de semana, uma das duas faixas da Av. Beira Mar é cercada por cones, um trecho de 3 Km onde o fortalezense (ou invasores como eu) podem usufruir do asfalto para prática de esportes. Nos postes da orla, diversos pontos são marcados com a distância, para aqueles que não vivem sem os números. Até 08:30 da manhã o carro não manda nesta faixa, e eu tive a satisfação de ver a autoridade de trânsito disparar uma sonora sirene em uma van estacionando e atrapalhando os corredores. Qual a dificuldade de se fazer isto em outras cidades, como São Paulo, por exemplo? A dificuldade é explicar para as pessoas que elas devem deixar de ser sedentárias, e que o carro não é nenhum ser onipotente, e sim uma ferramenta de locomoção.

Quando os cones são recolhidos, o povo continua suas passadas, lentas, trotando ou buscando performance no amplo calçadão da praia. Tudo com bastante segurança policial, apesar de ter sido alertado sobre os trombadinhas de plantão, que gostam de levar relógios e outros penduricalhos. Mais uma vez, só o equipamento básico para uma corridinha, mas desta vez devidamente calçado. Na verdade foram duas corridinhas, uma ao cair da noite, onde a orla ferve de tanta gente e outra no dia seguinte para experimentar a tal faixa.

Nada demais, no total, consegui reservar tempo nas minhas férias para correr uns 20 Km...

Rapadura é doce mas não é mole... e boa para correr!

Eu não imaginava que ia gostar tanto de uma iguaria local de que sempre ouvi falar: rapadura. Ô coisa boa! Tem de diversos sabores, e é curiosamente interessante: tem algumas que nem o Hulk parte ao meio com as mãos, mas que uma dentada resolve o problema de tirar um pedaço. Fácil de transportar no cinto de utilidades do corredor, bem doce, é uma verdadeira bomba de combustível. Não sei se o estoque que eu trouxe vai durar muitas corridas, mas talvez até encontre nos mercados especializados aqui em São Paulo. Advinha: rapadura é o meu novo torrone!

Também gostei de ver que o povo é chegado a praticar atividades físicas, como nas fotos abaixo, na placa da praia e no adesivo do ônibus de turismo.



É claro que eu revirei todos os sites de corrida para saber se ia ter algum evento no domingo, mas como era o primeiro final de semana do ano, fiquei só na vontade de participar de alguma prova lá. Quem sabe na próxima, afinal, o local é convidativo a se visitar novamente.

Tantas palavras para definir o que o cearense diz em uma só: arretado!

(conhece Fortaleza? Quer comentar mais algum detalhe? Fique à vontade e deixe seu recado)



2 comentários:

  1. Diz aeh Fera !!!
    O cidadão sai em viagem e bota para quebra nas corridas !!!

    Parabéns quando crescer quero ser como vc !!!

    Sucesso Sempre !!!

    ResponderExcluir
  2. Que boas férias essa sua heim? hehe
    Abraço e tudo de bom em 2012.
    Espero que tenha ido bem na prova de Santo Amaro.


    tutta/BALEIAS/PR
    www.correndocorridas.blogspot.com

    ResponderExcluir