segunda-feira, 25 de junho de 2012

Leitura de descanso: "Era Uma Vez Um Corredor"

Diversos livros tratam de biografias, histórias e estórias de superação, narrados em primeira ou terceira pessoa, porém poucas vezes é possível encontrar um enredo fictício sobre o tema “corrida”. Durante muito tempo a obra “Era Uma Vez um Corredor” (Once a Runner) de John L. Parker Jr. foi passada de geração para geração de atletas e aficionados, desmanchando-se de tanto manuseio e chegando a valer algumas centenas de dólares em sites de leilões. Lançado no ano de 2011 em português, o romance trata da estória de Quenton Cassidy, herói fictício que busca a todo custo quebrar a barreira de uma milha em menos de 4 minutos.

Esta distância mítica e este número cabalístico são consequência do sistema de medidas americano, portanto vamos traduzir: 1 milha são 4 voltas na pista de atletismo, ou seja, 1600 metros (não sou muito letrado no assunto, mas até onde lembro uma milha corresponde a 1.609 m... corrijam-se se souberem os números exatos). Mesmo assim, os atletas sempre buscaram vencer esta equação, e é claro que cada um de nós tem sua dobradinha tempo/distância que gostaria de mudar o balanceamento. Eu, por exemplo, já consegui em alguma situações vencer os 4 dígitos do relógio nos 10K, mas minha marca de meia maratona continua estagnada em 02h18min (aliás, parece que meu relógio só tem este número nos 21K!).

“Minha vida pode ser medida pela quantidade de borracha gasta.”

Voltando ao livro, é possível que o leitor ache a primeira metade um pouco enfadonha, pois ressalta muito o estilo de vida em dormitórios nas faculdades americanas na década de 1970. Times de atletismo eram comuns neste cenário, e como não temos isto de forma tão definida em nosso país, pode parecer um pouco chato entender os costumes e manias dos alunos. Mais adiante na leitura, Cassidy envolve-se em um abaixo-assinado que o impede de continuar competindo pela universidade, porém não o afasta de buscar quebrar o recorde, sob a tutela de seu treinador, um medalhista olímpico também fictício chamado Bruce Denton.

“Um treino intervalado é, para o corredor de distância, o equivalente moderno da dama de ferro, um instrumento usado pelos antigos inquisidores.”

Misturando personagens imaginários, outros reais como o campeão americano Frank Shorter, referência a outros do mundo das corridas, a estória até que flui de forma interessante e bem humorada. Nos capítulos finais, Cassidy irá enfrentar metro a metro seus medos na pista de atletismo durante uma competição e tentar vencer o relógio, batalhando contra adversários duros e tão bem preparados quanto ele. O resultado, só lendo mesmo.

"Era uma vez um corredor"
Lançamento: 2011
Páginas: 248
Formato: 16 x 23
Peso: 385
Acabamento: Brochura
Cód. de barras: 9788580570052
Gênero: Ficção (de corrida, é claro!)

2 comentários:

  1. Rinaldo, gostei da indicação do livro. Parece uma ótima leitura. Forte abraço, Helena.
    correndodebemcomavida.blogspot.com

    ResponderExcluir